segunda-feira, 28 de março de 2016

Honda CB500X - Lançamento

Honda CB500X Branca
Honda CB500X Branca (2015)

    No dia 21/03/2014 a Honda anuncia oficialmente a comercialização de uma nova moto no Brasil, a CB500X.  Conhecida  na Europa desde 2013, ela é a integrante de uma família composta por outras duas motos, a CB500F (Naked) e a CB500R (Sport), sendo a versão X a mais "aventureira" da turma, pois se enquadra no que a Honda chama de Crossover (motos on/off road).
    Veja a notícia da Honda Brasil na época:

Notícia do lançamento da Honda CB500X

    A 500X não inaugurou esse conceito Crossover, que podemos dizer que foi usado inicialmente com a VFR800X Crossruner, depois também foi usado na NC700X (da família NC700N e NC700S), e seguindo a receita da família NC, surgiu a CB500X.

    Tanto a 500X quanto as suas irmãs foram idealizadas com o objetivo de serem fáceis de pilotar, e para aqueles que querem sair das motos de "baixa cilindrada", mas não querem se aventurar na "alta cilindrada", além de ser uma moto resistente e de baixa manutenção.

    Honda bicilíndrica de quase 500cc, 8 válvulas e refrigeração líquida não é uma novidade no Brasil, pois entre os anos de 1997 e 2005 foi produzida a CB500, uma naked que é adorada até hoje por muitos motociclistas, e na época ela também era uma moto intermediária entre a 250 e 600cc.

Honda CB500 Special Edition

    Depois  de 2005 até 2014, quem gostava da marca e queria subir um pouco de cilindrada se sentia órfão, pois ou continuava nas baixas cilindradas, ou pulava diretamente para a alta cilindrada.  Por fatores econômicos acabava ficando na baixa cilindrada, ou se aventurava nas usadas de alta cilindrada.  Até existia uma opção, a Honda NX400 Falcon, mas motos Trail nunca foram as preferidas da maioria dos brasileiros.

    De 2014 até o momento deste post (2016), consultando um site onde os usuários avaliam suas motos, a CB500X era recomendada por todos, ou seja,  acho que até o momento a moto está cumprindo o seu papel.


Ficha Técnica da Honda CB500X 2013
Propulsor
Motor
471cc , DOHC, dois cilindros, 4 tempos, arrefecido a líquido
Potência máxima
50,4 cv a 8,500 rpm
Torque máximo
4,55 kgf.m a 7.000 rpm
Diâmetro x curso
67,0 x 66,8 mm
Alimentação
Injeção eletrônica de combustível PGM-FI
Relação de compressão
10,7 : 1
Sistema de lubrificação
Forçada, por bomba trocoidal
Sistema de ignição
Eletrônica
Sistema de partida
Elétrica
Elétrica
Bateria
12V – 8,6 Ah
Farol (alto/baixo)
60/55 W
Transmissão
Transmissão
6 velocidades
Embreagem
Multidisco em banho de óleo
Suspensões
Suspensão dianteira
Garfo telescópico com 140 mm de curso
Suspensão traseira
Pro-Link com 118 mm de curso
Freios
Freio dianteiro*
Disco de 320 mm de diâmetro.
Freio traseiro*
Disco de 240 mm de diâmetro.
Pneus
Pneu dianteiro
120/70 - 17
Pneu traseiro
160/60 - 17
Dimensões/Capacidades
Altura do assento
810 mm
Altura mínima do solo
170 mm
Dimensões (C x L x A)
2.095 x 830 x 1.260 mm
Entre-eixos
1.420 mm
Óleo do motor
3,2 litros (2,7 litro para troca)
Capacidade do tanque
17 litros (2,8 litros de reserva)
Outros
Categoria
on/off
Chassi
Tipo Diamond
Peso seco
STD: 180 kg | ABS: 182 Kg
*  Existe a opção de modelo com ABS.


Referências:
Anúncio oficial da CB500X no site da Honda:
http://www.honda.com.br/imprensa/noticias/Paginas/CB500X,amaisnovaintegrantedafamíliaHonda500.aspx

Site mundial da Honda sobre a família 500:
http://world.honda.com/CBR500R-CB500F-CB500X/index.html

Anúncio no site mundial da honda da família 500:
http://world.honda.com/news/2012/2121113EICMA2012/index.html

Um pouco sobre a Honda CB500 (1997-2005):
https://pt.wikipedia.org/wiki/Honda_CB_500

Avaliação dos usuários de CB500X:
http://www.motonline.com.br/guia-de-motos/honda/cb-500-x#todasavaliacoes


segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Viagem para Canela e Gramado - RS

    Em fevereiro de 2014, já havia compartilhado aqui a viagem feita para Canela e Gramado, e como foi uma visita muito prazerosa na época, em 2016 repetimos a idéia.  Na primeira vez a tentativa foi visitar os locais mais conhecidos, mas desta vez a meta foi descansar, conhecer outros locais e talvez visitar novamente os que gostamos mais.

    Sobre a rodovia, foi notado um grande salto na qualidade, pois os locais antes em obras, nesta viagem a maioria estava terminada, com destaque para a ponte Anita Garibaldi, em Laguna/SC, que ficou muito linda (única estaiada em curva do país até o momento).  Também tivemos a sorte de pegar um belo dia ao passar pela Rota do Sol/RS, garantindo belas fotos, tanto na ida quando na volta.

Ponte estaiada Anita Garibaldi em Laguna/SC
Ponte Anita Garibaldi - Laguna/SC

Paisagem na Rota do Sol - RS

Túneis na Rota do Sol - RS

Vídeo da passagem pelo Túnel da Reversão - RS

    Como da última vez, ficamos hospedados na Vila Suzana Parque Hotel em Canela/RS, e não desperdiçamos a oportunidade de aproveitar mais as belas e ótimas acomodações.  Como fica em um local bem tranquilo, foi muito bom para "descansar" da viagem.

    O primeiro objetivo foi conhecer o Parque Vale da Ferradura em Canela.  A estrada que leva até lá é conhecida como Caminho das Graças, pois ao longo da estrada existem várias mini capelas até o parque que termina com uma capela de vidro que contém a imagem de N.Sra. das Graças.  Infelizmente as pequeninas capelas estavam mal conservadas.  Mas sobre o parque, gostamos bastante do que vimos, porque além de uma natureza exuberante, possui algumas trilhas, locais com churrasqueiras para que você possa se reunir com os amigos, além de uma estrutura bem completa.  Se for de moto, é um local interessante para ser visitado em dia de sol, pois como boa parte da estrada é de terra batida e cascalho, ao chover adquire uma emoção à mais (experiência própria).

Placa com informações do Parque da Ferradura na cidade de Canela em Rio Grande do Sul.
Placa no Parque da Ferradura - Canela/RS

Rio em forma de ferradura no Parque da Ferradura na cidade de Canela em Rio Grande do Sul.
Rio no Parque da Ferradura - Canela/RS

Estátua da Nossa Senhora das Graças dentro de uma pequena capela de vidro no Parque da Ferradura no município de Canela em Rio Grande do Sul.
Nsa. Sra. das Graças no Parque da Ferradura - Canela/RS

    O segundo objetivo foi conhecer os dois belos portais (Pórticos) da cidade de Gramado, pois até então conhecíamos somente um.  O primeiro visitado, e já conhecido até então, foi o que se encontra na RS-235 (Av. das Hortências, nº 6274 - Via Nova Petrópolis), e suas paredes são feitas com um mosaico de pedras, janelas verdes de madeira com pequenas jardineiras e a parte externa do sótão com ripas de madeira na vertical.

Pórtico na rodovia RS-235 no município de Gramado em Rio Grande do Sul.
Pórtico na RS-235 em Gramado/RS

    O outro portal está na RS-115 (nº 155 - Vila do Sol), e parece um pequeno castelo, com suas três torres com telhados em cone hexagonal, um relógio ao centro e duas belas sacadas em madeira trabalhada, para cada lado das marginas da rodovia.  Nesta a riqueza de detalhes é maior, além de parecer ser maior.

Pórtico na rodovia RS-235 no município de Gramado em Rio Grande do Sul.
Pórtico na RS-235 em Gramado/RS

    Em Gramado caminhamos bastante pelo centro, visitando os pontos turísticos e almoçando um delicioso sanduíche na Loja e Café Caracol Chocolates.  Em Canela visitamos também a Catedral de Pedra e passeamos um pouco pelo centro.  Nosso passeio pelas cidades se resumiu a isso, pois aproveitamos mais para descansar na pousada.


Rota: Partindo de Curitiba/PR, foram aproximadamente 720 quilômetros até Canela/RS. Optamos ir pela BR-101, pois além de estar bem conservada, nos garantiria uma quilometragem por hora maior. Outro coisa que nos motivou a seguir este trajeto, foi o fato de passar pela Rota do Sol (RS-486), rodovia que também estava em bom estado de conservação. As rodovias RS-020 e RS-235 estavam em ótimo estado de conservação. Se você ir de carro, prepare-se para pagar um pedágio bem salgado na RS-235, porém, motos não pagam.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Dicas para Viajar de Moto - A Rota

  Algumas vezes, quando a viagem é curta ou se vai para destinos já conhecidos, não necessitamos de um planejamento muito grande, mas quando vamos encarar caminhos antes não percorridos por um longo período, normalmente costumamos fazer um planejamento um pouco melhor.  Quem acompanha as viagens que descrevo aqui, talvez não imagine como eu faço esse planejamento, então, na sequência vou compartilhar alguns passos que eu executo, e que possam ser seguidos por quem tenha interesse em agregar mais conhecimento.

  Vou enumerar abaixo, por ordem de prioridade, o que eu costumo considerar ao planejar a rota de viagem:

  1. Condição da estrada;
  2. Pontos de parada/abastecimento;
  3. Tempo de viagem;
  4. Rotas alternativas.


1. Condição da estrada.
  O que todos já fazem é olhar o caminho mais curto, ou aquele que passa por rodovias principais.  Mas outra coisa interessante é olhar se elas estão em boas condições ou passando por obras.  Atualmente, usando algum site de busca na internet, essa tarefa ficou bem mais fácil, pois basta procurar pelas rodovias que vai utilizar adicionando algumas "palavras-chave".  Exemplos: "condição rodovia XXXX", "rodovia XXXX em obras", "rodovia XXXX interditada", etc.  Um extra é pesquisar "rodovia XXXX acidente", que vai te ajudar a identificar os pontos mais perigosos.  Com esses passos provavelmente você vai conseguir evitar algum contratempo, escolhendo assim outro caminho, ou adiantando a saída para compensar um possível atraso.  Se mesmo assim você não encontrar, uma outra idéia é ligar para as polícias rodoviárias responsáveis, ou postos de combustíveis encontrados e pedir informações.  Se a mesma estiver sobre pedágio, tente descobrir quem é a concessionária responsável, pois muitas vezes até no próprio site dela tem as condições da rodovia. 


2. Pontos de parada/abastecimento.
  Muitas vezes queremos só chegar ao destino e esquecemos que o caminho pode nos proporcionar belas vistas, então, pesquisar sobre pontos turísticos do caminho e reservar um tempo para eles também é uma boa idéia, além de possibilitar que você pare para dar uma "esticada nos músculos" e ainda garantir boas fotos.  A autonomia do veículo também vai influenciar nessa hora, pois alguns consomem mais, ou menos durante uma viagem comparado ao deslocamento dentro da cidade, então, é importante calcular se é interessante parar para abastecer um pouco antes, pois o próximo trecho pode não dispor de um posto de combustível.  Existem alguns mapas rodoviários (Guia Quatro Rodas por exemplo), que exibem os principais postos de combustível.


3. Tempo de viagem.
  O veículo utilizado com certeza vai influenciar o ritmo do passeio. Algumas motos (ou outro veículo escolhido) são mais confortáveis que outras, o que vão demandar frequência de paradas maiores ou menores.  Aqui, a única maneira de descobrir é fazendo uma pequena viagem teste, para verificar por quanto tempo é possível pilotar (ou dirigir) ininterruptamente, assim será possível calcular o tempo total que você vai levar para percorrer todo o caminho com as paradas para descanso.  Outra dica é tentar sincronizar as paradas com os abastecimentos, e para que uma delas ocorra próximo ao horário do almoço (ou refeições).  Se a rodovia estiver sobre pedágio, lembre-se de deixar o dinheiro separado para agilizar o procedimento, e ainda neste assunto, se a viagem coincidir com algum feriado, lembre-se que pode encontrar filas nas praças de cobrança.  Essa dica está em terceiro, pois os dois pontos acima vão influenciar diretamente na velocidade média total da viagem.


4. Rotas alternativas.
  Devido nossa incapacidade de prever o futuro com exatidão, é importante ter um "segundo plano", então, reserve um pouco do seu tempo para verificar caminhos alternativos que podem te ajudar a não desistir de tudo em caso de problemas ao percorrer a rota principal.  E se precisar usar a Rota Alternativa, lembre-se, não tente ganhar tempo fazendo loucuras, pois um problema você já vai ter, não precisa arrumar outro.  Por esse motivo é bom sempre tentar sair antes, para que o alternativo não torne-se um grande contra-tempo.  Eu sempre levo comigo o mapa impresso (tenho o Guia Quatro Rodas) por garantia, afinal, se o GPS parar e a conexão de dados te abandonar, você ainda tem algo para consultar.


  Quando estiver debruçado sobre o mapa, lembre-se também de verificar as entradas ou bifurcações que podem causar confusão, e fazer você pegar o caminho errado.  Durante a viagem preste mais atenção nas placas do que no mapa, e decore na sequência o nome das cidades que vai passar, porque se o mapa estiver desatualizado, não vai sair tanto assim do caminho planejado (pelo contrário).
    Para saber se a rodovia está sobre pedágio, eu gosto de entrar no site da Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias, pois lá tem um mapa interativo que indica a rodovia e a concessionária responsável.

  Basicamente são esses os passos que eu executo, mas se quiser uma dica mais simplista, preste atenção na estrada usada e no tempo de viagem.  Vale lembrar que estas dicas são para viagens não muito elaboradas, pois quando trata-se de viagens internacionais ou caminhos exóticos, muito mais coisas devem ser consideradas.

  Se quiser ler mais a respeito, clique neste link e veja Dicas para Viajar de Moto - A Moto.     

  Abraço e boa viagem a todos!


sábado, 18 de abril de 2015

Visitando novamente Pomerode - SC

    Com o feriado de Tiradentes se aproximando, surgiu a idéia de fazer um passeio para aproveitar os 4 dias para descansar, mas como o objetivo era fugir das praias (destino da maioria das pessoas), surgiu novamente a oportunidade de visitar a cidade de Pomerode/SC, e finalmente tentar ir a todos os lugares antes não visitados na viagem de 2011.
    Após confirmada a hospedagem no Hotel Bergblick, teve início a viagem,  ocorrendo com um belo dia e um deslocamento muito tranquilo, conseguindo desfrutar muito das paisagens.  A chegada ocorreu próximo do meio-dia, então, a primeira parada oficial foi o Restaurante Típico Siedlertal, que foi uma ótima escolha,  afinal, o almoço foi em um restaurante que o nome significa "vale do colono imigrante".
    De "estomago forrado" e energias recuperadas, o próximo destino foi o hotel para efetuar o check-in, e já adiantando que este ótimo lugar foi um refúgio de descanso durante todos os dias do passeio, com direito a deliciosos cafés da manhã e da tarde.  Neste dia recebemos em mãos o "Passaporte Turístico", que possibilita ser presenteado com um brinde se literalmente carimbar 10 pontos turísticos visitados, e na verdade esse foi o pequeno desafio para os 2 dias seguintes.  Depois do descanso, nada como a bela Praça Central para caminhar e na sequência jantar no Currywurst um belo Hambúrguer, e apreciar um pouco da bela noite que estava fazendo.
    Assim, este dia se deu por encerrado, pois o seguinte se aproximava para dar continuidade aos
passeios.

Hotel Berblick em Pomerode - SC

    Após o belo e delicioso café da manhã, o destino foi conhecer a Rota Enxaimel, que é um percurso onde encontram-se várias casas com o visual dos colonos alemães ainda preservadas, sendo umas mais fáceis de serem vistas, outras nem tanto.  Após o almoço, o destino foi a Arte do Lar, que possui vários artigos de decoração, onde perde-se muito tempo olhando cada peça, e torna-se quase impossível não comprar algumas lembrancinhas.
    Na sequência, como não fazia muito tempo que havia acontecido a Osterfest, procuramos a praça onde ainda estava montada a Arvore da Páscoa, decorada com 80 mil ovos de páscoa (um record mundial), muito linda, mesmo já perdido alguns "frutos".
    O destino seguinte foi o Museu do Marceneiro, onde é possível ver de perto as ferramentas utilizadas no passado para confeccionar ítens de madeira.  No local, no andar inferior, ainda existe uma enorme roda d'agua em funcionamento, também toda em madeira, que era utilizada para mecanizar alguns trabalhos.  No local também é possível comprar vários utensílios em madeira, e são tantas coisas que é difícil sair de "mãos abanando".  Nos fundos também existe uma pequena e bela cachoeira, que é utilizada para represar e direcionar a água para a roda.  Perto do final do dia, como não poderia deixar de passar, fomos ao bar Schornstein para curtir o entardecer tomando uma bela cerveja antes de voltar ao Hotel.

Casa Comercial Weege em Pomerode - SC

Arte do Lar em Pomerode - SC

Arvore da Páscoa da Osterfest em Pomerode - SC

Decoração na Osterfest em Pomerode - SC

Museu do Marceneiro em Pomerode - SC

    O dia seguinte também foi para visitarmos vários outros lugares, como o Badulaques Vintage, a confeitaria e restaurante Torten Paradies, o Opa Boteco (da cerveja Opa Bier), e a Nugali Chocolates.  Com todos esses lugares visitados, conseguimos fechar o nosso "Passaporte Turístico" e pegar o nosso brinde no Hotel.  No dia seguinte arrumamos as malas novamente e voltamos para Curitiba, com as energias recarregadas e boas novas lembranças do local.

 

sábado, 15 de fevereiro de 2014

Viagem para Praia do Rosa - SC

Praia do Rosa - SC
Praia do Rosa - SC

    Depois de ter visitado as atrações turísticas de Gramado-RS, pegamos a estrada com destino à praia.  A decisão pela Praia do Rosa foi por três motivos em especial: O primeiro por ficar quase na metade do caminho da nossa volta para Curitiba , o segundo por conta da sua beleza, e o terceiro por se tratar de uma praia muito tranquila naquela época do ano.
    Tínhamos como objetivo passar por Torres-RS, mas uma forte chuva acabou causando inundações na cidade, que inviabilizaram nossa visita.  Esta chuva nos acompanhou por quase toda a viagem, atrapalhando nossa intenção de fazer mais fotos enquanto voltávamos pela Rota do Sol, e nos deixou apreensivos, afinal, não gostaríamos de passar o final de semana na praia, fugindo da água.
    No dia seguinte, para nossa sorte, a chuva já dava sinais que estava indo embora, o que já nos viabilizou passear pela pequena cidade para um reconhecimento, com direito a um belo almoço com frutos do mar.  Como a pousada não estava "à beira mar", e existe uma pequena montanha entre a cidade e a praia, a nossa primeira visita foi pelo caminho mais longo, e para a volta, fizemos uma pequena caminhada pelas "trilhas" para finalmente descobrir o caminho mais curto, mas não que este seja mais fácil, pois ainda havia a necessidade de subir e descer o morro.  Ao final do dia, o saldo foi incrivelmente positivo, bem melhor do que estávamos pensando.

Praia do Rosa - SC
Trilha na Praia do Rosa - SC

    No terceiro dia aproveitamos melhor a bela praia, com direito a mergulho em uma pequena piscina natural que liga-se com o mar quando a maré está mais alta.  Notamos que algumas pessoas seguiam pela costa, por uma trilha pelas pedras/vegetação, e resolvemos também investigar, o que acabou nos levando a lugares realmente muito bonitos, onde as ondas batiam fazendo um belo espetáculo natural.  Depois de um tempo caminhando, encontramos uma placa escrita "Praia Vermelha", então, continuamos para encontrá-la, mas, se soubéssemos que estávamos quase na metade de uma caminhada tão longa, teríamos nos preparado melhor. Comento isto porque esta outra praia, apesar de bonita, é mais isolada, e como não tínhamos levado muita água, tivemos que racionar na volta.

Praia do Rosa - SC
Foto panorâmica na Praia do Rosa - SC

Praia do Rosa - SC
Orla da Praia do Rosa - SC

Praia do Rosa - SC
Vista acima das pedras na Praia do Rosa - SC

Praia do Rosa - SC
Placa indicando a Praia Vermelha na Praia do Rosa - SC

Praia do Rosa - SC
Arco de arbusto próximo a Praia Vermelha na Praia do Rosa - SC

Praia do Rosa - SC
Praia Vermelha na Praia do Rosa - SC

    De volta à pousada, tomamos um belo banho para tirar a água do mar do corpo, e descobrir que estávamos completamente queimados do sol, provavelmente porque o protetor foi embora junto com o suor durante a caminhada.  Descansamos o resto do dia na pousada mesmo, para finalmente usar a rede, e recarregar as baterias para a viagem de volta.  No quarto dia organizamos nossas malas, embarcamos na moto, e pegamos a estrada para voltar a Curitiba.  O retorno pela BR-101 foi tranquilo, e conforme chegávamos ao destino, o tempo ficava mais frio nos mostrando que realmente voltávamos ao "lar-doce-lar".

    Rota:  De Canela-RS onde estávamos, até a Praia do Rosa-SC que situa-se em Imbituba, são aproximadamente 365Km.  Saindo de Canela, pelo mesmo caminho antes utilizado, voltamos à BR-101.  No trecho da BR-101 que passa por Imbituba, utilizamos o acesso que leva a SC-434, que é a mesma entrada para a cidade de Garuva.  Depois de alguns quilômetros usamos a estrada GRP-396 que dá acesso direto à praia.

Clique aqui para ver a rota no Google Maps

Praia do Rosa - SC
Rota de Canela-SC até Praia do Rosa-SC

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Viagem para Gramado - RS

Paróquia São Pedro em Gramado-RS
Paróquia São Pedro em Gramado-RS

    Depois de ter visitado as atrações turísticas de Canela-RS, partimos para a cidade de Gramado, afinal, é muito difícil ficar sem visitar ambas cidades devido a sua proximidade.  Até a estrada que liga as duas é muito bonita, e nela podemos encontrar várias atrações.  Ao chegar a parte central, você começa a observar a forte tendência das antigas construções européias, uma bela visão para quem está acostumado com a "selva de pedra" das grandes cidades.  Por ser uma cidade pequena e turística o cuidado com os detalhes é muito bonito, desde a cabine telefônica em formato de "casa", ao parquímetro que estava entre várias flores.

Prédios em avenida em Gramado - RS
Prédios em avenida em Gramado - RS

Prédios comerciais em Gramado - RS
Prédios comerciais em Gramado - RS

Cabine telefônica em Gramado - RS
Cabine telefônica em Gramado - RS

    Sem esforço é possível encontrar a igreja de pedra, mas diferente da de Canela, esta mantém o estilo rústico inclusive em seu interior.  Na parte externa encontram-se esculturas dos 12 apóstolos e, uma escultura estilizada à São Pedro.  Ao lado da igreja, além do pequeno conjunto comercial, podemos ver a Fonte do Amor Eterno, onde casais prendem seus nomes com cadeados em sua cerca.
    Bem próximo é possível ver o Palácio dos Festivais, onde acontece o Festival de Cinema de Gramado, a construção também lembra as antigas casas alemãs, na calçada em sua frente podemos ver os nomes de artistas brasileiros famosos, escritos com suas respectivas palmas das mãos, uma alusão à calçada da fama de Hollywood.

Paróquia São Pedro em Gramado - RS

Interior da Paróquia São Pedro em Gramado - RS

Fonte do Amor Eterno em Gramado - RS

Palácio dos Festivais - Festival de Cinema de Gramado - RS

    Olhando para o outro lado da rua, encontramos a Rua Coberta, porém, não é apenas uma rua coberta, ela é composta por um "teto" verde de trepadeiras.  Passando pelo seu interior encontramos vários restaurantes, bares e lojas, mas, por ser um ponto turístico, os valores cobrados pelos estabelecimentos se tornam um impeditivo para alguns visitantes.
    Próximo do horário de almoço, olhamos os cardápios e optamos por um hambúrguer com uma boa cerveja na lanchonete do Caracol (o mesmo do chocolate), que acabou se mostrando o melhor custo benefício.  Aproveitamos também a Praça Major Nicoletti que existe ao lado da Rua, para fazer um pouco mais da digestão antes de reiniciar a caminhada.

Rua Coberta em Gramado - RS

Interior da Rua Coberta em Gramado - RS

Praça Major Nicoletti em Gramado - RS

    Antes de ter almoçado na Rua Coberta, demos uma boa caminhada pela Avenida Borges de Medeiros, para conhecer um pouco mais da cidade e observar suas construções.  Conhecemos outras praças, onde cada uma tinha uma característica especial, com temática natalina, rural, etc.
    Apesar de termos visto muita coisa, queríamos ter andado mais por outros lugares, mas haviam outros mais afastados a serem visitados.


Conjunto comercial com casas tortas em Gramado - RS

Praça Vila de Natal em Gramado - RS

Outra praça em Gramado - RS

    Embarcamos na moto e seguimos para o próximo ponto turístico que estava em nossa lista, e depois de algumas voltas, finalmente encontramos o Parque do Lago Negro.  Ele não é muito grande, porém, é muito gostoso para uma boa caminhada e esquecer a correria do dia-a-dia, contando inclusive com uma estrutura muito adequada.
    Para aqueles que não podem caminhar muito, pagando pode-se embarcar em um carrinho que passa em torno do lago, e para quem quer um pouco mais de diversão, existem alguns pedalinhos que podem ser alugados para andar por todo o lago, inclusive alguns em formato de barco pirata que cabem quatro pessoas.

Portal do Parque do Lago Negro em Gramado - RS

Pedalinhos do Parque do Lago Negro em Gramado - RS

Pedalinho Barco Pirata no Parque do Lago Negro em Gramado - RS

As flores da hortência no Parque do Lago Negro em Gramado - RS

    Após um sorvete no parque, embarcamos novamente para o próximo destino, que era o Mundo a Vapor.   Não podemos dizer que é uma atração de Gramado exclusivamente, pois como está na estrada que liga as duas, também considera-se uma atração de Canela.
    Na frente temos a simulação de um acidente ferroviário ocorrido em Paris em 1895, muito mais interessante do que somente um trem na entrada, ou seja, um prato cheio para fotos.  Mas quem acha que acaba aí, engana-se, pois no interior temos uma visita orientada onde exibem e explicam quase todos os inventos à vapor já criados pelo homem, um passeio que além de informativo, é muito divertido pois as máquinas-modelo a vapor funcionam realmente.  A entrada não é franca, mas vale cada centavo.
    No local em exibição está um relógio a vapor em pleno funcionamento, outro igual só é encontrado em Vancouver, no Canadá.   Tudo se iniciou com os irmãos Omar e Benito Urbani, que ná época ainda trabalhavam com o pai na oficina, e nas horas vagas construíam réplicas de máquinas a vapor. Como são muitas as máquinas, eu acabaria tendo que escrever quase um post completo sobre o lugar, ao invés disto, prefiro deixar minha recomendação para que visitem o lugar, ainda mais agora que foi recentemente reformado.

Fachada do Mundo a Vapor - RS

Modelo de fábrica de celulose no Mundo a Vapor - RS

Modelo de madeireira no Mundo a Vapor - RS

Rológio a vapor no Mundo a Vapor - RS

    Ao terminar nossa visita, nos dirigimos para a próxima atração da nossa lista, o Harley Motor Show, que assim como o Mundo a Vapor fica na estrada que liga as duas cidades.  Chegando ao destino, descobrimos que ele está anexo ao Museu de Cera, inclusive havia um desconto caso optássemos pela compra dos dois ingressos, então, foi o que fizemos.
    Iniciamos pelo Museu de Cera, e eu confesso que não estava tão interessado, mas ao passar pelos salões temáticos com os personagens famosos em cera, comecei a curtir bastante.  É uma experiência bastante interessante, porque você se sente transportado para a ocasião onde os personagens se encontram, mais um "prato cheio" para fotos.

Poderoso Chefão no Museu de Cera em Gramado - RS

Jack Sparrow no Museu de Cera em Gramado - RS

Mr. Bean no Museu de Cera em Gramado - RS

    Após ele, pegamos o elevador para o subsolo, para ir ao Harley Motor Show.  Para mim que gosto de motos, confesso que foi bem recompensador, afinal, poder entrar em um local onde belas motos fazem parte da decoração, foi muito legal.  Tudo é voltado para o mundo motociclístico, e para vocês terem uma idéia, até o banheiro segue essa temática.
    Para quem desconhece esse mundo das motos, é só um bar com motos bonitas, mas para quem gosta, é um deleite para os olhos.  Até uma réplica da moto usada pelo ator Peter Fonda no filme Easy Rider você encontra lá, e engana-se quem acha que só tem motos Harley, pois tive a alegria de ver de perto uma Indian Chief 1948, e destoando, um Ford F1 1951.

Shovelhead 1968 no Harley Motor Show - RS

Knucklehead 1946 no Harley Motor Show - RS

Indian Chief 1948 no Harley Motor Show - RS

Ford F1 1951 no Harley Motor Show - RS

Cadeiras do bar no Harley Motor Show - RS

    Saindo, já estava escuro e a chuva mostrava que vinha para ficar.  Como estávamos cansados, retornamos para a pousada para jantar e ter uma merecida noite de descanso, pois no dia seguinte já pegaríamos a estrada, mas desta vez o destino seria a Praia do Rosa - SC.

    Rota: Como estávamos hospedados em Canela, chegar em Gramado foi muito fácil, afinal, pode-se dizer que de uma à outra são 9 quilômetros.  Essa proximidade realmente é um facilitador para visitar as atrações de ambas, porém, se quiser visitar o portal de cada uma, vai precisar efetuar um deslocamento maior.

Clique aqui para ver no Google Maps a rota entre Canela e Gramado - RS